Quem Somos O que defendemos Posicionamento

QUEM SOMOS

A Rede Rotulagem é uma iniciativa do setor produtivo de alimentos e bebidas em defesa de uma nova rotulagem nutricional no Brasil, mais informativa e eficiente. A Rede é composta por 20 entidades:

  • ABIA
    ABIA – Associação Brasileira das Indústrias da Alimentação
  • ABIR
    ABIR – Associação Brasileira das Indústrias de Refrigerantes e de Bebidas Não Alcoólicas
  • ABIAD
    ABIAD – Associação Brasileira da Indústria de Alimentos para fins comerciais e congêneres
  • ABIAM
    ABIAM – Associação Brasileira da Indústria e Comércio de Ingredientes e Aditivos para Alimentos
  • ABICAB
    ABICAB – Associação Brasileira da Indústria de Chocolates, Cacau, Amendoim, Balas e Derivados
  • ABLV
    ABLV – Associação Brasileira da Indústria de Lácteos Longa Vida
  • ABIMAPI
    ABIMAPI – Associação Brasileira das Indústrias de Biscoitos, Massas Alimentícias e Pães & Bolos Industrializados
  • ABIOVE
    ABIOVE – Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais
  • ABIQ
    ABIQ – Associação Brasileira das Indústrias do Queijo
  • ABITRIGO
    ABITRIGO – Associação Brasileira da Indústria do Trigo
  • APAS
    APAS – Associação Paulista de Supermercados
  • ABPA
    ABPA – Associação Brasileira de Proteína Animal
  • ABRAS
    ABRAS – Associação Brasileira de Supermercados
  • ABRE
    ABRE – Associação Brasileira de Embalagem
  • SIAEG
    SIAEG – Sindicato das Indústrias da Alimentação no Estado de Goiás
  • SINDICARNES SP
    SINDICARNES SP – Sindicato das Indústrias de Carnes e Derivados no Estado de SP
  • SINDILEITE
    SINDILEITE – Sindicato das Indústrias de Laticínios e Produtos Derivados do Leite do Estado da Bahia
  • Viva Lácteos
    Viva Lácteos – Associação Brasileira de Laticínios
  • UNICA
    UNICA – União da Indústria de Cana-de-Açúcar
  • Firjan
    Firjan – Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro
  • CNI
    CNI – Confederação Nacional da Indústria
  • O que defendemos

    A Rede Rotulagem defende a adoção de um modelo de rotulagem nutricional que ofereça ao consumidor brasileiro as informações básicas de que necessita para fazer escolhas alimentares com autonomia e consciência, de acordo com suas características e preferências individuais.

    Com esse objetivo, propomos um modelo no qual as informações nutricionais são apresentadas na parte frontal das embalagens, de forma clara e objetiva, com destaque em cores para as quantidades de açúcares, gordura saturada e sódio indicadas com base na porção usualmente consumida e também na porcentagem relativa a uma dieta diária de 2.000 kcal.

    Consequentemente, consideramos equivocados os modelos de alerta que substituem a informação pelo alarmismo e a educação pela tutela do consumidor.

    A oferta de informação de forma simples e clara, como proposta no modelo de rótulo informativo, contribui para a educação alimentar do consumidor e o incentiva a adotar hábitos mais saudáveis no contexto de uma dieta equilibrada.

    apelo ao alarmismo em detrimento da informação e da educação, como sugerido nos modelos de alerta, tem eficácia reduzida para impulsionar a mudança de hábitos.

    Desde o início do processo de revisão das normas da rotulagem nutricional no Brasil, a Rede Rotulagem desenvolveu, com o apoio de entidades, núcleos acadêmicos e especialistas de diversas áreas, estudos e subsídios que consideramos essenciais para que a solução a ser adotada no País considere em profundidade os impactos regulatórios e seja baseada em evidências técnicas e científicas.

    POSICIONAMENTO REDE ROTULAGEM

    A Rede Rotulagem, formada por 21 entidades que representam cerca de 1.500 empresas de alimentos e bebidas no Brasil, vem manifestar publicamente seu apoio ao processo de revisão das normas de Rotulagem Nutricional e Nutricional Frontal de Alimentos no Brasil, conduzido pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), pendente de apreciação pela Diretoria Colegiada.

    O setor produtivo teve oportunidade de participar do processo de revisão das normas de rotulagem nutricional desde o início, há 6 anos,  sempre pautando suas contribuições em estudos técnicos e em evidências científicas capazes de contribuir e endereçar adequadamente o problema regulatório identificado pela Agência durante a Análise de Impacto Regulatório (AIR), qual seja, melhorar a informação para o consumidor.

    Desta forma, a indústria brasileira de alimentos e bebidas acredita que a informação útil e adequada é a melhor aliada para a promoção de hábitos alimentares e estilos de vida saudáveis e, por este motivo, defende a adoção de um modelo informativo de rotulagem nutricional que ofereça ao consumidor brasileiro as informações de que necessita para fazer escolhas alimentares com autonomia e consciência, de acordo com suas características, preferências individuais e no contexto de uma dieta equilibrada.

    Apesar de percebermos que ainda há possibilidade de melhorias na proposta apresentada na Consulta Pública 708, de 2019, entendemos que importantes avanços incluídos pela Agência, com base técnico-científica, não podem ser desconsiderados.

    Destaque-se que o momento atual de pandemia que vivemos vem causando disrupções nas cadeias produtivas e sérios esforços vêm sendo empreendidos pelas indústrias para garantir o abastecimento da população. Essa situação de pandemia, imprevisível durante todo processo regulatório, deve ser observada na decisão final da Anvisa, especialmente no que diz respeito à entrada em vigor da nova norma.

    A Rede Rotulagem acredita que, durante esse processo de revisão regulatória, as discussões alcançaram alto grau de maturidade, não havendo razão alguma para que se atrase o processo de conclusão.

    Ademais, a previsibilidade é essencial para que as indústrias de alimentos e bebidas brasileiras, estabelecido um novo marco regulatório, possam iniciar seus processos de adequação.

    REDE ROTULAGEM

    ABIAABIRABIADABIAMABICABABLVABIMAPIABIOVEABIQABITRIGOAPASABPAABRASABRESIAEGSINDICARNES SPSINDILEITEViva LácteosUNICAFirjanCNI